segunda-feira, 28 de junho de 2021

Slow Scrap: um jeito diferente de enxergar o seu fazer Scrapbook. Vamos conversar sobre isso?


Em fevereiro deste ano, tive um insight sobre o papel das redes sociais na minha vida. Foi um pensamento que me fez refletir bastante, e, na ocasião, decidi levar para o Instagram! Até hoje, lá naquele post, a conversa sobre o assunto continua.

Agora, ainda em minha reflexão, percebo que a pandemia nos trouxe algumas pautas profundas que atingiram nossas vidas. Lembra, lá no seu início, aquele monte de lives e todo mundo surtando com a produtividade? – Nossa, será que estou sendo produtiva? Está me faltando tempo para fazer tudo o que quero num dia... 
Quanto mais ficávamos (e ainda ficamos) em casa, mais conectadas à internet, e claro, isso teria uma consequência... 
Mas o que todo esse papo tem a ver com o scrap? Tem, que percebi que essa produtividade forçada, essa obrigação inquisitória de posts, de reels, de lives e de likes, nos fez afastar do verdadeiro motivo de fazermos scrap.

Fazer scrap é contar a nossa história, mas é muuuuito além disso. Fazer scrap é, sim, contar a nossa história, porém, contar de verdade! E como contar de verdade se você não está verdadeiramente ali, presente? Se está preocupada em terminar logo para postar na internet? Se não procurar suas simbologias e significados e apenas for recortando e “jogando” tudo ali em volta da foto?

Então, refletindo sobre o meu processo criativo, percebi que o meu scrap é SLOW! Sim, desde sempre... E no começo desta pandemia, pelo conflito entre essa natureza slow e a velocidade da internet, foi bem difícil para mim...
Por não postar muito, não tinha o tanto de engajamento que esperava. E pior, eu sentia que fazia posts super elaborados para simplesmente serem engolidos pela efemeridade das 24 horas. Então, em fevereiro, como já disse, parei e priorizei a mim, colocando o Instagram em seu devido lugar – uma ferramenta, apenas isso!
Eis que aconteceu algo positivo. Tendo o SLOW SCRAP como filosofia, acabava, de fato, não produzindo tantas postagens, porém me percebia criando um scrap mais profundo, mais conectado à minha alma, conectado a tudo que é sagrado para mim!


Não estou falando para você demorar dois dias para fazer um projeto (eu demoro às vezes até três, rs), estou falando para você fazer com alma, se conectando à sua história, aos seus símbolos e significados, que você achará de forma deliciosa se dedicar um pouquinho de tempo observando os papéis que tem na sua mesa, por exemplo! Esteja presente ao recortar, veja que tipo de pensamentos te vêm à cabeça enquanto recorta, se pergunte por quê, se divirta fazendo... Como vivenciar a beleza dessa conexão com o seu interno, trazendo o que está dentro de você para fora, se você quer fazer um layout inteiro em apenas uma hora?
Ok, muitas vezes só se tem uma hora por dia para fazer scrap. Então, se demore quantos dias forem necessários ali, naquela sua história. Se conecte com você mesma!
O resultado disso será de puro êxtase e satisfação, será uma obra de arte contendo suas vivências, suas impressões sobre o momento, sua conexão consigo mesma e com as pessoas que você ama!
Como você não fez a toque de caixa, você teve tempo de desenvolver amor pelo seu trabalho artesanal, pelo seu Scrapbook que se tornou arte, e não vai apenas fotografar, postar e depois esquecer, como muitas vezes acontece.

Se identificou? Então deixo aqui o convite para você experimentar o SLOW SCRAP, experimentar a conexão consigo mesma!

E oh, todo este papo ainda continuará por aqui, pois estou me preparando para retomar um projeto idealizado e parado há meses, e vou mostrar em detalhes todo o meu processo em Slow Scrap para vocês acompanharem minhas dores e delícias - como já dizia Caetano! Bora? Boraaaaaaaa!

Beijocas felizes. Adliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UEBAAAAA, comentário novo, ADORO!!!! Obrigada e beijinhos!